SENNA: DONINGTON 21 ANOS DEPOIS

O circo da Formula 1 viaja para alguns dos lugares mais glamorosos e exóticos do mundo. Ayrton Senna participou de 161 corridas,venceu 41 vezes,  foi 80 vezes ao podium e registrou 19 voltas mais rápidas. Teve sua primeira vitória no charmoso circuito do Estoril (1985), venceu o prestigiadíssimo GP de Monaco nada menos que 6 vezes (87/89/90/91/92/93), realizou seu sonho ao ganhar finalmente o GP Brasll em 1991, exausto, travado em sexta marcha! Foi no travado circuito de Donington, na Inglaterra, porém, que ele realizou a que, de acordo com a maioria dos especialistas, sua melhor perfomance. Aquela primeira volta é uma das que ficaram para a história. E, no final, quando o brasileiro cruzou a linha de chegada, foi a primeira e única vez que vi todos os jornalistas da sala de imprensa aplaudirem de pé!

Donnington prometia uma ‘boa briga’ entre as duas equipes de ponta. Desapontado por ter sido vetado por Prost a juntar-se a dominante equipe Williams – única clausula exigida pelo piloto frances, quando assinou com Frank Williams, era que Ayrton não poderia ser seu parceiro de escuderia – o tricampeão mundial negociava corrida por corrida com a equipe de Woking mas chegou a Derbyshire otimista. “Sem uma reta longa, o motor acaba contando menos”, explicou antes da prova. E, claro, também admitiu que a previsão de chuva durante a prova lhe beneficiaria. Mas, ao contrário do que muitos supunham, Ayrton não gostava de correr na chuva.”Qualquer erro pode ser fatal. É perigoso demais. Mas, admito, ela nos dá uma possibilidade de competir com as tão superiores Williams”.

um pouco da magia neste documentário

 

Desde sua primeira corrida de kart, Ayrton aprendeu que a chuva devia ser domada, conquistada. Sua minha primeira prova  foi sob chuva e ele ‘apanhoui’ feio. “Nem sabia pra onde virar o volante”. Daquele dia em diante, assim que começava a chover, ele corria pra pista e treinava, treinava ate’ cansar. “Foi assim que aprendi a manha da chuva”.

Com visibilidade e velocidade menores, as freadas tem de ser atrasadas sobrando mais espaço. “Além disso, no  molhado, voce pode fazer traçados diferentes o que aumenta tambem as possibilidades de ultrapassagem”, sentenciou. Palavras lógicas, de claridade e bom senso como a maioria de suas analises.  O que não sabiamos era que eram proféticas.

O domingo acordou chuvoso. E a água so’ parou de cair pouco antes do inicio do Grande Premio.  A apreensão era visivel na cara dos pilotos. Pneus secos ou molhados? Nas arquibancadas, apenas 30 mil espectadores, um publico pequeno para corridas de Formula 1.  Nos VIP, Princesa Diana dava algum brilho ao grid.

Primeira volta mais espetacular da históia da Formula 1

Primeira volta mais espetacular da história da Formula 1

 

Na largada, a pista ainda estava bem molhada quando as luzes viraram verde. Na pista, o tricampeao mundial fazia mágica com sua McLaren. MAGIC SENNA AT HIS VERY BEST. Mesmo depois de tantos anos assistindo suas corridas, eu não consegui esconder o espanto. Na verdade, uma mistura de incredulidade e  idolatria. Na sala de imprensa, ouviam-se suspiros, gritos de admiração, risos de incredulidade.

Sua habilidade em encontrar aderência naquele asfalto escorregadio fez com que Senna rapidamente se livrasse de Wendlinger (por fora na Craner!!!) , passase Damon Hill na McLean’s com facilidade  e começasse a correr atrás de Alain Prost – tudo isto depois de ter sido empurrado pra fora da pista pelo alemão da Benetton. “Eu tive de tirar duas rodas da pista, mas consegui me recuperar”.

Três curvas mais tarde, no grampo chamado Melbourne, Ayrton Senna tomaria a liderança da corrida. De quinto a primeiro em apenas 10 curvas!! Espetacular! Quase ouço o Galvão aos gritos quando lembro. “Para ser sincero, aconteceu tanta coisa nesta corrida que não me lembro exatamente como foi a primeira volta. Mas sei que foi um tiro psicologico em todo mundo”, me contaria mais tarde, ainda razoavelmente incrédulo ele mesmo.

Depois de provar sua competência no molhado na primeira volta, Senna apertou ainda mais e abriu quase 4 segundos de vantagem no final da segunda volta. Mas a pista estava secando e os mecanicos ja’ se movimentavam nos boxes , pneus lisos nas mãos. (Mal sabiam eles que este seria apenas o começo do maior senta-levanta da história da Formula 1. Principalmente nos boxes da Williams!!)

Senna e Prost

Senna e Prost

O Grande Premio foi cheio de incidentes, mudanças de pneus, derrapagens, rodadas, ultrapassagens delicadas. Foram 4 paradas pra Senna contra 7 do frances, um recorde que continua ate’ hoje pelo que eu sei. “ Quase morri do coração um monte de vezes na prova. Eu tinha de colocar o carro ainda mais no molhado, mas não tinha opção. Eu sabia que , quando secasse um pouquinho, as Williams seriam mais rapidas mesmo com pneus de chuva”, lembraria mais tarde.

Na volta 57,  Ayrton Senna entrou nos boxes. O sistema de radio da McLaren não funcionava bem e Ayrton não entendia o que lhe diziam. E vice versa. Os mecanicos não estavam a postos . O brasileiro passou reto e, devido ao curioso desenho do circuito,  registrou a volta mais rapida 1.18.029, pois tinha cortado caminho! Foi a última volta mais rápida de sua carreira.

Ayrton Senna ganhou o Grande Premio da Europa ,  sua 38a vitoria, uma volta a frente de todos os outros pilotos com exceção do ingles Damon Hill, segundo colocado.

“inacreditavel, inacreditavel”, Ayrton repetia para mim, sentado sozinho no caminhão da equipe. Pouco antes, ele havia cumprimentado cada um dos mecanicos e engenheiros que contribuíram para que ele mantivesse a liderança do campeonato.

Ayrton e bandeira com orgulho

Ayrton e bandeira com orgulho

Ainda sinto uma grande emoção quando lembro deste dia e desta corrida. Um verdadeiro mestre no volante. Um show. Ayrton estava exausto no final e eu podia ver a adrenalina saindo de seu corpo, tenso e  cansado. No seu  rosto, porém, uma alegria quase infantil, um prazer despretensioso e autentico que vi muito poucas vezes. Fiquei emocionada e especialmente feliz por ele.

O austriaco Gerhard Berger, que era seu melhor amigo na Formula 1, comentaria comigo mais tarde em seu jeito jocoso de ser.  “ In Donington, Ayrton made us all  look stupid” (Em Donington, Ayrton fez todos nós outros pilotos  parecerem estupidos). Dávamos boas risadas.

Ayrton foi também o responsável por um dos dias mais felizes do ingles Tom Weatcroft, proprietário do circuito que só hospedou o circo mais famoso do mundo nesta ocasião.  Nem com toda a imaginação, criatividade e desejo do mundo, o dono do circuito de Donington poderia ter sonhado uma continuidade de eventos como no domingo 11 de abril de 1993.  Um daqueles dias que ficam pra história.

Senna e Tom

Senna e Tom Wheatcroft

 

About Betise Assumpcao Head

Communicator, specialized in Media Relations, Reputation, Crisis Management, corporate or individual. I started as a Sports Journalist (7 years, Mains newspapers and magazines in Brazil) turned into World Wide Press Officer (Senna 1990/1994), been to Games in Barcelona Atlanta, London & Rio 2016. Italy, Germany & Brazilian World Cups.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: